Cansei dos cursos genéricos

Ano passado decidi empreender e comecei a pensar em qual seria o modelo da empresa que eu administraria. Aprendi que trabalhar com educação e capacitação de pessoas era o que mais me motivava, é parte do meu propósito. Mas ainda não sabia qual seria o modelo desse novo negócio. Iniciei testando o mercado, promovendo workshops e oferecendo palestras direcionadas para a área de Marketing – minha especialidade. Escolhi especialmente o formato de workshop por acreditar que, com poucos alunos, de forma presencial, com atividades e interação, o aprendizado é maior. Eu estava feliz, mas ainda sentia um vazio não preenchido.

Quando produzo um workshop, procuro deixar claro qual é o nível de conhecimento necessário para participar. Seria frustrante saber que alguém investiu seu tempo e dinheiro para aprender algo que não estivesse dentro da sua expectativa. Por isso, sempre pergunto quais são as expectativas da turma em relação ao curso, para que, no decorrer dele, eu consiga alcançar a todos. Os retornos são muitos bons, as avaliações finais e o feedback sempre foram ótimos.

Mas senti no decorrer dos cursos algumas pessoas com diferentes situações e momentos de aprendizagem. Também percebi que nem todos aproveitaram o momento como eu gostaria que fosse aproveitado, afinal, eram diversas pessoas de empresas distintas. Mas o importante é que cada um conseguiu aprender alguma coisa, certo? Para mim, não. Sempre acho que podemos melhorar e fazer mais.

Então, comecei a participar de mais cursos e workshops para ver como o mercado estava fazendo, aproveitando para ganhar mais conhecimento e, quem sabe, captar novos insights para o meu projeto.

Gostei dos cursos que fiz até o momento, mas preciso contar uma verdade: não consegui prestar muita atenção ao que era falado. Acho que, no máximo, por volta de 20% do tempo eu participei ativamente – o restante do tempo, eu fiquei no celular, navegando nas redes sociais ou respondendo e-mails.

Este conteúdo foi publicado originalmente na minha coluna do portal Ideia de Marketing – para acessar o artigo completo clique aqui

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *