Como estruturar um plano de marketing para startups?

Um modelo de negócio tão dinâmico quanto uma startup, exige um plano de marketing ousado e muitas vezes de baixo custo – portanto, terá que ser bem direcionado, evitando o desperdício de energias e de recursos humanos e financeiros.

É necessário identificar o momento que a startup está vivendo (se introdução, crescimento, maturidade ou declínio – clique aqui para ler mais a respeito). Além disso, alinhar a estratégia de marketing aos objetivos da empresa, para que as táticas escolhidas atinjam o resultado esperado. Independente disso, manter o mindset de growth é fundamental em todas as etapas.

Definida a estratégia, as táticas que serão utilizadas no plano de marketing ficam mais nítidas. Os resultados que são esperados de cada ação, precisam ser definidos previamente, de acordo com a característica do negócio, mas devem permitir rápidas avaliações (mensurando o resultado pretendido e o atingido), e melhorando continuamente as ações.

Dentro de um âmbito geral, que serve a todos os negócios, é vital pensar na presença digital da startup. Ainda que inicial o posicionamento da empresa no seu mercado, é importante que já haja uma estrutura online bem formatada, apoiada nas tecnologias e com diversidade de mídias e canais de conteúdo. 

É lógico que a depender do negócio, da persona definida, o estilo das campanhas, as melhores ferramentas e até o resultado que se pode alcançar num lançamento mudam drasticamente. Mas uma necessidade de toda startup é estar pronta para a sua escalabilidade, e o marketing digital propicia expandir a presença da empresa, de forma efetiva, exatamente ao público que precisa atingir – sejam investidores, sejam clientes individuais.

Existe um vasto material gratuito e disponível por aí, para apoiar quem quer entender ou iniciar uma estratégia de marketing digital. Para tentar não falar mais do mesmo, vou destacar o que é preciso priorizar.

 

Alinhe a estratégia de marketing com o plano de negócio

Todo negócio começa com um porquê, e a estrutura da empresa tem que estar a serviço desse objetivo. O plano de marketing, as ações escolhidas, a definição de público alvo, quais mídias privilegiar, enfim, tudo o que envolve um planejamento de marketing, precisa estar diretamente relacionado com os objetivos da startup. Parece óbvio, mas a verdade é que, na prática, poucos fazem um alinhamento devido.

Uma vantagem relativamente comum em startups é iniciar com uma equipe enxuta, em que a comunicação interna pode e deve ser mais fluida e horizontal. O marketing precisa trabalhar em conjunto com as áreas e etapas do negócio de forma completa, transparente, para refletir e entregar os resultados que a empresa se propõe.

Só depois de definida a estratégia geral de marketing, é que se passam às táticas mais mão na massa, definição das ações cotidianas, as ferramentas para mensuração dos resultados pretendidos e alcançados. 

As metas de marketing não podem estar desconectadas dos demais âmbitos da empresa. 

 

Comece pequeno, pense grande

 

Não importa o quão distante pareçam os objetivos de longo prazo da startup, seja em vendas, faturamento, posicionamento. Não importa que o orçamento para o marketing seja pequeno para o tamanho da meta.

Uma das principais características que toda startup busca desenvolver o quanto antes é a escalabilidade, e um bom plano de marketing pode ser um propulsor deste objetivo. Com ações bem direcionadas, com uma boa fundamentação (feita, conforme falamos acima, numa definição clara de estratégia), um pitch de vendas redondo para qualquer ocasião, o plano vai sendo adaptado às novas demandas.

O orçamento está baixo? Importantíssimo ter uma análise do tracking de vendas, ou seja, analisar qual a origem das vendas de menor investimento. É ali que o marketing deve colar e colocar toda a atenção para estratégia. É bem comum que starups foquem as estratégias de parcerias e planos de indicação, é uma forma mais rápida e segura para crescer – e com menor investimento.

 

Invista pesado em marketing digital

 

Aqui, a definição das melhores ferramentas vão ser desenhadas conforme o modelo da estratégia, mas é inegável o quão barato, efetivo e mensurável pode ser o marketing digital.

Não vamos nos ater em definição de público alvo e construção de persona (e sim, você deve fazer isso – clique aqui se quiser ler mais a respeito), mas em dizer que é válido testar todas as mídias, canais de relacionamento e formatos de conteúdo que existem. Até para confirmar o plano de marketing inicialmente traçado, as ações precisam ser testadas, rapidamente analisadas e, caso necessário, corrigidas.

Faça das mídias sociais um canal de relacionamento forte com os seus clientes; não despreze o potencial de um e-mail bem escrito e personalizado para o seu lead, por exemplo. Lance mão das ferramentas de SEO, ofereça, ofereça e ofereça muito conteúdo gratuito e de qualidade. Não é necessário criar conteúdos do zero. A expertise que foi adquirida no início da startup pode ter um conteúdo valioso a ser dividido com a sua persona!

Em qualquer momento da startup, uma coisa é certa: conteúdo é rei e vídeo é o grande Mestre do marketing digital. Invista quanto antes, com os recursos que tiver.

 

Faça, mensure, faça novamente

 

Uma das grandes vantagens do marketing digital é justamente poder medir os resultados de forma objetiva e rápida. Seja por taxa de conversão, ROI, CAC – isso se define junto com os objetivos da campanha. 

O mais interessante é não engessar o plano de marketing numa fórmula única, só porque está (teoricamente) dando mais certo em geral no mercado. O seu cliente em potencial é uma responsabilidade sua, e entender as nuances que um resultado pode te entregar, permite as melhorias contínuas nas campanhas e ações de marketing.

Não demore para corrigir um direcionamento que não deu o resultado esperado – aprenda continuamente com os resultados, sejam quais forem. A agilidade em mudar também é um dos grandes potenciais deste novo mercado.

Gosto de pensar que o marketing digital é como se fosse o perfect match para uma startup, por ambos serem contemporâneos, ocuparem os mesmos espaços e compartilhar as mesmas oportunidades de negócios. Um profissional de marketing que topa um desafio numa startup já é, ao meu ver, alguém fora da curva, que não tem receio das inovações e de nunca parar de aprender!

Como você encara as mudanças que estão acontecendo agora? Elas já estão acontecendo no seu próprio ambiente de trabalho hoje? E com relação a testes e erros rápidos: isso te deixa desconfortável ou te empolga? Me conte, que eu vou adorar saber!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu e-mail e fique por dentro das novidades.

Veja também

Entre em Contato