Employer Branding: porque é importante para o marketing da sua empresa?

Hoje em dia é cada vez mais importante investir no bem-estar e satisfação no ambiente de trabalho das empresas. Segundo estudo da MetLife, 81% dos empregadores reconhecem os impactos positivos deste investimento no engajamento e rendimento de seus profissionais.

Seria um equívoco associar este assunto somente à área de Recursos Humanos. Trata-se de um esforço que, aliado ao marketing, pode trazer resultados ainda melhores. Não à toa, cada vez mais empresas adotam estratégias de Employer Branding.

A seguir, explicarei melhor como funciona esta prática, seus benefícios, o conceito de Brand Advocacy e como esta tendência se aplica ao Social Selling. Vamos lá?

O que é Employer Branding? 

Employer Branding é um termo em inglês que significa marca do empregador. Ou seja, trata-se de uma prática cujo objetivo é fazer com que o mercado tenha uma visão positiva sobre a empresa como local de trabalho.

Esta nomenclatura surgiu na década de 90 e foi criada por Simon Barrow, presidente da People in Business. Nesta época, os profissionais deixaram de considerar somente o salário ao decidirem onde trabalhar e também passaram a analisar fatores como progressão da carreira, benefícios, cultura organizacional e até ambiente de trabalho.

Ou seja, se mostrou cada vez mais importante trabalhar não só a marca comercial da empresa, mas também trabalhar sua marca empregadora de maneira estratégica. Desta forma, os setores de Recursos Humanos e Marketing passaram a trabalhar em conjunto no planejamento do Employer Branding.

Ao adotar uma estratégia bem alinhada, é possível reforçar os pontos positivos sobre o cotidiano da empresa e, consequentemente, atrair e reter profissionais talentosos. Além disso, é possível fortalecer a brand awareness e obter destaque no mercado.

Quais benefícios do Employer Branding?

Como mencionado anteriormente, adotar uma estratégia de Employer Branding é uma prática que gera muitos benefícios às empresas. São os seguintes:

1. Atração e retenção de talentos

Você sabia que os processos seletivos do Google atraem mais de 2,5 milhões de profissionais todos os anos? Isto tem tudo a ver com a estratégia de Employer Branding adotada pela empresa, considerada um dos melhores locais para se trabalhar.

Ou seja, investir na sua marca empregadora é um meio de chamar a atenção de talentos e, consequentemente, ampliar o número de opções nos processos seletivos da empresa. Desta forma, a chance de preencher as vagas com profissionais qualificados é ainda maior!

Além disso, é possível atrair profissionais com um perfil alinhado aos valores da empresa – o chamado fit cultural. Isso fará com que as pessoas certas se interessem pelas vagas no seu quadro de funcionários.

Outro ponto é a retenção dos colaboradores de destaque. Quando o profissional está numa empresa com uma boa estratégia de Empoyer Branding, a probabilidade de trocar de emprego é baixíssima. Afinal, esta pessoa estará num ambiente com boas condições de trabalho – e pode até indicar conhecidos competentes – ou seja, só benefícios!

2. Reduz os custos de recrutamento

Outro benefício importante é a redução nos custos de recrutamento. Segundo estudo do LinkedIn, as empresas que adotam o Employer Branding gastam 43% menos por candidato contratado.

Quais os motivos destes custos menores? Eles estão diretamente ligados à menor  rotatividade de funcionários e a facilidade em encontrar profissionais com o perfil desejado. Desta forma, serão necessários menos recursos para em processos seletivos, demissões e até capacitação de novos funcionários.

3. Aumento de vendas

Você sabia que 83% dos brasileiros optam por consumir de empresas cujos valores alinhados aos seus? Este dado, fornecido por um estudo da Acenture, mostra como é cada vez mais importante investir na imagem da empresa.

Mas o que isso tem a ver com Employer Branding? Ao investir na sua marca empregadora, é possível atrair a atenção do público para como a sua empresa é um ambiente de trabalho saudável e tornar sua relação com essas pessoas ainda melhor.

Como exemplo podemos citar companhias como Netflix e Nubank. Suas estratégias de Employer Branding investem não só no cotidiano dos funcionários, mas também na venda de serviços. E olha, funciona!

Brand Advocacy e Social Selling

Employer Branding não é algo a ser aplicado somente aos canais oficiais da empresa. Como trata-se de uma prática com o objetivo de fortalecer a marca empregadora, é importante contar com a participação de seus profissionais.

Para isso, é necessário entender o conceito de Brand Advocacy, ou seja, defensores da marca. Quanto mais satisfeitos e engajados seus colaboradores estiverem, maior a probabilidade deles compartilharem conteúdos de maneira espontânea e orgânica.

Isso tem tudo a ver com o conceito de Social Selling, ou seja, o uso das redes sociais para identificar, mirar e atingir potenciais clientes. Como assim? Segundo estudo da Edelman, os especialistas internos de cada empresa despertam 22% mais confiança do que um SEO. Ou seja, são grupos cada vez mais importantes para estabelecer a credibilidade do negócio.

E sabe de outro dado importante? Segundo o LinkedIn, 75% dos candidatos pesquisam sobre as empresas antes de se inscreverem no processo seletivo. Desta forma, o engajamento de seus funcionários e como eles falam de trabalho é importante para uma boa estratégia de Employer Branding – não esqueça disso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu e-mail e fique por dentro das novidades.

Veja também

Entre em Contato